pela jornalista Miriam Rey – Genebra, Suíça">
Release Encantamento
 
 
 
Encaminhar    Impressão      RSS   

pela jornalista Miriam Rey – Genebra, Suíça

Quando o encantamento invade nossos sentidos e nos transporta ao mundo do amor e da pura poesia das melodias, é o momento em que as canções de Marcos Assumpção, encantam os nossos ouvidos.
Marcos, escritor, poeta, compositor, instrumentista e sua voz de « arrepios na pele », em seu mais recente cd « Encantamento », ele nos abre as portas da viagem das escalas preenchidas da boa música, daquelas em que fechamos os olhos e revivemos histórias passadas e outras ainda não vividas, que não sabemos explicar em letras. Mas Marcos sabe !  
Gravado ao vivo no Centro Cultural de Genebra, Suíça e no Teatro Interim em Munique, Alemanha em 2013, para alegria geral dos brasileiros e dos europeus que participaram destes concertos, onde a saudade bateu fundo na alma.
Os arranjos, voz, violão e direção musical são do próprio Marcos Assumpção, artista completo.
Ele nos canta o amor e a paixão, de uma maneira mais do que poética, de uma suavidade e profundidade translucida.
Das doze faixas do álbum, seis são em parceria com Mourão Martinez, Paulo Delfino, Joel da Prado e Sergio Castro,  tive o prazer de escutá-las e degustá-las várias vezes.
Encantamento, a primeira música, leva o mesmo nome do cd, a palavra chave é o amor, aliás, uma declaração de amor que toda mulher gostaria de ouvir... « Agora sei de cor, universo da paixão, minha constelação maior, meu amor, fui feito pra você »... Quem nunca viveu momentos assim, de intensa emoção ? 
A música Fotografia é nostalgia e fim, recomeço e sempre. 
A terceira faixa do cd: Sem memória ; reflexão sobre as partidas sem bagagens e sem pesos... » Vou despido de história de convenção e preceito, sem raiz e memória, sem pesares no peito » ; despretensiosa viagem das emoções. 
Versos de Lua, canção lindíssima de um amor sincero que vive nos braços da entrega. 
Em todas as músicas, o sublime encanto do amor e do desamor estão presentes nas composições, em « Pode ser que não », são a tristeza e a constatação do « não » no brilho da paixão ; Pode ser ? Pode ser que não ! 
A faixa seis do disco, Entre Quitandas e Quintais, traz um desejo de sair pelo mundo com o olhar leve e o passo sem rumo. 
E continuando o nosso destino final, que é o amor ; Canção do amor sem fim, me fez sentir banhada da luz sensível daquele amor sem fim. 
A oitava canção invoca a natureza das águas, de uma maneira tranquila. Fonte é uma composição de  muita poesia, relacionando o « nós » dentro das imagens do planeta água. 
O silêncio e a canção, música que transborda lembranças de outras e antigas paixões e o momento do agora ; «  Lembra da gente quando a chuva convidar para dançar, quando olhar o postal de algum lugar e o silêncio falar mais alto do que a canção ». Diz tudo ! 
A minha preferida, se é que possamos escolher entre tantas de tanto amor, é a faixa dez : Como se não existisse chegada ; um universo de nostalgia de acordes e letras de uma extrema verdade, poetizando as  palavras. 
As duas últimas melodias : Sobrados e O que está por vir, dão o toque final no jogo das rimas bem feitas, que cabem sob medida na alma romântica de quem tem o olhar fixo nas paixões. 
O novo cd de Marcos Assumpção tem sabor de magia, e de tão encantada com o « Encantamento », nada mais consigo dizer, além do que já combinamos : Escutarmos com o espírito do amor presente na nossa mente...



Fonte: MARCOS ASSUMPÇÃO
Data: 25/08/2014